CHINARTE Artes da Saúde

Novas Aprendizagens, Estar e Ser Naturalmente!

domingo, 22 de agosto de 2010

Código Deontológico da World Yong Nian Tai Chi Federation

By Diana Roque
O Código Deontológico da World Yong Nian Tai Chi Federation visa estabelecer as directrizes de actuação dos seus membros de modo a fomentar o bom desenvolvimento e evolução da prática de Yang Tai Chi Chuan, promovendo o enriquecimento das relações intrapessoais dos seus membros, bem como interpessoais, com base numa conduta ético-moral que se delineia de acordo com os seguintes princípios:
A Linha de Conduta da Familia Yang *
As Seis Felicidades de Fu Zhong Wen **
Os Quatro Princípios de Fu Sheng Yuan ***

A linha de conduta da Familia Yang estabelece que para desenvolver uma boa evolução na prática de Yang Tai Chi Chuan se devem fomentar:
Zhin (Diligência)
O trabalho intenso, árduo e esforçado é um pré-requisito para o desenvolvimento da habilidade na prática. A prática diária e assídua, trará como recompensa bons resultados.
Hen (Perseverança)
É importante que um sentimento contínuo, estável e durável no objectivo de desenvolver o Tai Chi seja cultivado. Este sentimento e intenção, conjugado com uma prática regular permitirá alcançar este objectivo.
Li (Respeito)
Respeitar o Mestre, o Professor e os Companheiros é de importância primordial. Relacionem-se com os outros, tendo em consideração os seus antecedentes, bem como as suas expectativas. O respeito mútuo serve para enfatizar um sentimento de comunidade e solidariedade numa sociedade, na qual os indivíduos se devem respeitar mutuamente.
Zhen (Sinceridade)
Uma atitude sincera e motivada é um dos pré-requisitos para a aprendizagem de Tai Chi Chuan. De modo a alcançar uma boa prática, é necessária uma determinação genuína para obter esse propósito. Ao lidar com os outros, façam-no com sinceridade, se desejam que vos correspondam da mesma forma. Mantenham a sinceridade como primeira atitude a ter com os outros e alcançarão um fluir suave e harmonioso nas vossas relações.
Também, o Grão Mestre Fu Zhong Wen, pai de Fu Sheng Yuan estabeleceu algumas directrizes para promover o bom relacionamento com os outros e consequentemente, o desenvolvimento salutar da prática de Tai Chi, as quais são conhecidas como “As Seis Felicidades de Fu Zhong Wen”. Estas regras de actuação consistem em promover os seguintes comportamentos:
Ajudar os outros
A cooperação e o auxílio prestado aos outros proporcionam um sentimento de bem-estar e felicidade.
Fomentar a Bondade
Praticar o Bem, mantendo em todas as atitudes e acções uma Mente e Coração puros.
Ser Tolerante
Desenvolver a capacidade de aceitar a diferença, mesmo quando contrariam os costumes e hábitos sociais vigentes em dada sociedade, manifestando uma atitude de compreensão e respeito para com os demais indivíduos e culturas.
Ser Grato no Presente
O sentimento de gratidão proporciona uma sensação emocional de bem-estar a nível intrapessoal que se reflecte directa ou indirectamente nas relações com os outros, por isso é importante desenvolver esse sentimento no momento presente.
Desenvolver a Auto- Estima
A auto-estima representa a avaliação subjectiva que cada pessoa faz de si mesma, a qual pode ser positiva ou negativa. Assim, é importante que os indivíduos com uma baixa auto-estima fortaleçam este aspecto. Por outras palavras, fazer de si mesmo uma avaliação positiva significa aceitar e gostar de si tal como se é.
Praticar Tai Chi como uma Filosofia de Vida
Existem inúmeros métodos para evoluir como ser humano, entre as quais o Tai Chi apresenta-se como uma das vias que por excelência pode proporcionar o progresso no desenvolvimento pessoal, sendo um caminho, uma forma de alcançar a Felicidade.

Recentemente, o Grão Mestre Fu Sheng Yuan no âmbito do que naturalmente sempre fomentou ao longo da sua experiência de vida, apresentou quatro novos princípios com o intuito de complementar as regras de conduta já vigentes na Família Yang, bem como as anteriormente estabelecidas pelo seu pai, Fu Zhong Wen, os quais são respectivamente: Lealdade, Amizade, Rectidão e Humanidade.

Os princípios de Fu Sheng Yuan não são uma novidade pois integram os costumes da Família Fu desde sempre. Pessoalmente, tenho constatado que a postura do Grão Mestre Fu Sheng Yuan e do Mestre Fu Qing Quan perante os seus discípulos e alunos, bem como em geral com todos aqueles com que se relacionam, é um exemplo de convívio cordial. Bons anfitriões, expressam sempre satisfação no contacto com os outros, revelando uma simpatia genuína e uma alegria de viver contagiante. Essa forma de estar gera uma energia positiva que se revela na sua forma natural de estar e ser, sem preconceitos, onde todos podem ser o que são. Na minha última viagem a Shangai (Julho e Agosto de 2010) tive o privilégio de ouvir o Grão Mestre Fu Sheng Yuan falar sobre estes quatro princípios. Foi com base nesses relatos que fundamentei a definição dos Quatro Princípios de Fu Sheng Yuan, que espero ter conseguido isentar da minha interpretação pessoal das palavras do Grão Mestre. Assim, passo a expor os referidos princípios:

Zong (Lealdade)
A Lealdade é uma qualidade ou atributo de um indivíduo que numa determinada relação se manifesta e expressa leal ou fiel ao vínculo que se estabelece na mesma, o que significa que preserva e conserva as características originais do modelo tido por referência. Portanto, o conceito de lealdade ou fidelidade aplica-se num contexto duma relação entre dois indivíduos, mas também, na relação indivíduo /objecto.
Neste caso, a relação Mestre / Discípulo (ou estudante) e a relação que cada indivíduo (Mestre, discípulo ou estudante) estabelece com o objecto que os relaciona, respectivamente o conhecimento transmitido /recebido inerente ao Tai Chi mantendo a sua essência original, tal como ditado pelo Mestre.
Assim, ser leal e fiel ao Mestre e/ou ao conhecimento recebido deste, pressupõe respeitar e aceitar esse saber. A lealdade não decorre por auto-imposição ou obrigação imposta por terceiros, pois nessa situação não seria duradoura. Consequentemente, impõe-se que a relação se estabeleça no âmbito de uma confiança e afinidade mútuas, pois a qualidade lealdade surge naturalmente quando é fundamentada e sustentada com base num sentimento verdadeiro.
Confiar nos ensinamentos do Mestre gera a aceitação das suas directrizes, o que resulta numa conduta de respeito pessoal e perante terceiros que se expressa no apoio incondicional ao Mestre.

Ye (Amizade
O Grão Mestre Fu Sheng Yuan define como sendo essencial fomentar a amizade nas relações que estabelecemos com os outros.
O conceito de amizade pode ter várias conotações consoante o tipo de relacionamento humano que se estabelece entre dois indivíduos. Neste âmbito deve entender-se como uma relação interpessoal que se estabelece por laços de companheirismo que se fortalecem pela genuinidade na partilha de interesses mútuos e consequente espírito de entreajuda que se gera. Contudo, a amizade não pressupõe obrigatoriamente a afinidade de interesses, sendo um afecto que surge naturalmente por empatia com o outro.
A amizade ideal deveria integrar uma forma de estar e ser, na qual se reflectisse o seguinte:
• Nutrir e demonstrar simpatia e empatia pelo outro.
• Lealdade.
• Confiança.
• Honestidade e Verdade.
• Desejar o melhor ao outro.
• Aceitar o outro tal como é; não exacerbar os seus defeitos.
• Partilhar os bons e os maus momentos.
• Respeitar o espaço individual de cada um, pois a amizade não deve ser sufocante. Um amigo entende quais os momentos oportunos para estar presente.
• A verdadeira amizade assenta numa relação de amor genuíno; amamos os nossos amigos tal como são e não pelo que possuem.

De (Rectidão)
A rectidão é uma característica do carácter humano no âmbito da actuação moral e ética no que respeita aos comportamentos adoptados nos relacionamentos que um indivíduo estabelece, sendo-lhe implícitas as qualidades de lealdade e honestidade, bem como a conduta irrepreensível, ou seja que nunca prejudicará intencionalmente outrem, seja por palavras ou actos.

Ren (Humanidade)

A virtude, humanidade, consiste num conjunto de forças que tendem a promover o comportamento ou atitude de desejar ou agir em benefício dos outros. Assim, a humanidade associa-se directamente com três conceitos: o amor, a bondade, e a inteligência social. Consequentemente, à humanidade é, também, implícito o sentimento de altruísmo para com os outros.

Agora, importa que todos nós nos empenhemos em aprimorar o desenvolvimento das qualidades, virtudes e comportamentos acima assinalados. Certamente, atingiremos patamares mais elevados de perfeição técnica no desempenho da prática de Tai Chi, no nosso desenvolvimento pessoal e, muito importante, nas relações que estabelecemos com o mundo.

------------------------------------------
*Os princípios da Linha de Conduta da Família Yang com base no Livro “Authentic Yang Tai Chi Chuan” do Grão Mestre Fu Sheng Yuan.

** As Seis Felicidades de Fu Zhong Wen conforme dados que recolhi através do relato oral do Mestre Fu Qing Quan - Ourense (Espanha), 15 de Junho de 2008.
***Os Quatro Princípios de Fu Sheng Yuan com base no relato oral do próprio – Shanghai, 1 de Agosto de 2010.

Coimbra, 22 de Agosto de 2010

6 comentários:

  1. By Josefina
    Olá Diana muito bonito tudo o que escreveste, com o desejo que todos sigam estes principios que não são uma novidade, a familia Fu pratica-os no seio da sua familia há já longos anos e fazem questão de os divulgar a todos que praticam taichi só que por vezes isso não acontece não é verdade????
    entre outras considerações esta parece-me muito objectiva: "respeitar o Mestre, Professor e os companheiros é de importância primordial"
    As seis felicidades de FU ZHONG WEN:
    ser tolerante, desenvolver a auto-estima, praticar taichi como uma filosofia de vida, respeitar o espaço individual de cada um.....etc etc. tudo isto é verdade e muito convincente mas na prática Diana tens que ser mesmo mais tolerante e respeitar um pouco mais todos os teus companheiros de taichi, velhos e novos. todas estas considerações não girão à tua volta e o taichi não foi criado à cinco anos com a tua integração na Chinarte, muitos outros praticantes fazem parte da Chinarte há já mais de cinco anos e aprendemos todas estas regras, por tal tambem existem mais discipulos directos do Mestre com a mesma cerimonia e ritual que é exigida, por ex. eu Josefina e outros tantos.

    O mesmo acontece como membro "Hung Sing Gwoon" tambem eu Josefina tenho esta previlegio, e para o ser tive de fazer uma pequena demonstração em video enviar a Mestre Fa e esperar que fosse aceite por ele, mas isso não me põe em extase, aliás há já 5 anos que tenho esta categoria.

    com tudo que escrevo quero dizer-te que apesar te conhecer há alguns anos, termos feito a viajem à China e praticarmos taichi com o Mestre Nelson durante os cursos anuais e não só, tenho verificado que te modificaste bastante. A nivel técnico melhoraste muito sem dúvida embora precises de mais tempo para trabalhares o teu interior e estar de acordo com o exterior. Agora nas relações com os outros estás de facto muito diferente. Desculpa esta sinceridade mas é o que sinto, e franqueza é comigo já sabes. Josef.

    ResponderEliminar
  2. Josefina, realço que escrevi no final do artigo "Agora, importa que todos nós nos empenhemos em aprimorar o desenvolvimento das qualidades, virtudes e comportamentos acima assinalados", incluindo-me a mim mesma.
    Escrevi este texto e muito outros, porque gosto muito de escrever. E espero, poder continuar a materializar as ideias que me brotam diariamente, estruturando e ilustrando-as com as minhas vivências pessoais, como não poderia deixar de ser.
    Acho interessante reunir a informação que todos aprendemos formalmente em classe ou informalmente pelo convívio que temos oportunidade de experimentar e esquematizá-la, de modo a dar a conhecer aqueles que não conhecem esta realidade. Penso que resulta benéfico para todos os que não têm outra forma de se esclarecer sobre estes temas e ajuda a divulgar esta arte.
    Faço isto porque gosto, há muito tempo, aliás muitos dos artigos na biblioteca on-line da CHINARTE são meus. Nunca recebi nada por isso Josefina, uns fiz porque me pediram e outros por minha iniciativa.
    Algumas pessoas por vezes escrevem-me a dizer que gostam, para mim é o suficiente para ficar feliz.
    Seria muito bom que pudesses usar essa tua energia e colaborasses, também, enviando artigos. Certamente, serias uma mais valia e todos nós temos muito que aprender com a tua experiência como instrutora de chi kung e tai chi que praticas há tantos anos.
    Beijinho:)
    Diana

    ResponderEliminar
  3. Devemos estar todos gratos à Diana, pelos excelentes textos que tem publicado nos blogues de Tai Chi e Chi Kung. Este trabalho engrandece a nossa Escola e ensina-nos muito sobre estes sistemas. Todos aprendemos com as suas vivências e ensinamentos dos Mestres em que a Diana descreve-os de uma forma excepcional.
    Os seus cinco anos de prática representam muito porque o faz diariamente e porque pratica com os melhores Mestres da actualidade. Digo isto porque praticar com o Grão Mestre Fu Sheng Yuan com o Mestre Fu Qing Quan e com o Grão Mestre Chen Yong Fa é um privilégio muito grande e a Diana tem aproveitado todas as oportunidades para aprender com eles.
    Desde 2005 que já fez 6 viagens à China onde pode usufruir dos preciosos ensinamentos e confidencias destes Mestres.
    Recentemente esteve em Shanghai e participou juntamente comigo nas reuniões e treinos privados com o Grão Mestre Fu Sheng Yuan e o Mestre Fu Qing Quan. O Grão Mestre Fu Sheng Yuan numa das reuniões aquando da explicação dos seus princípios, disse-lhe “Diana, quero que me ajudes na tradução e interpretação destes princípios para que todos os meus discípulos e alunos os consigam entender”. Ora, esta tarefa foi incumbida à Diana porque O Grão Mestre Fu considera a Diana como a discípula que o pode ajudar nesta árdua tarefa. Por isso, todos devemos estar orgulhosos de termos connosco alguém como a Diana e agradecer o seu contributo e trabalho, dedicação e Amor ao Tai Chi, cumprindo na íntegra todos os princípios ditados pelo Grão Mestre Fu Sheng Yuan.
    Em meu nome pessoal e da CHINARTE agradeço do fundo do coração à Diana tudo o que tem feito em prol do Chi Kung e do Tai Chi Chuan, o que tem ajudado muitos na evolução destas artes da Saúde.
    Um Muito Muito Obrigado Diana.

    Nelson Barroso

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Mestre.
    É verdade que o Grão Mestre Fu Sheng Yuan, o Mestre Fu Qing Quan e o Guardião do Sistema Choy Lee Fut, Chen Yong Fa representam na sua área o que de melhor há na actualidade. Mas tal como já disse e inúmeras vezes escrevi,e corroborando o que todos os alunos pensam e sentem, Nelson, também, és um grande Mestre. Poucos revelam o empenho e preocupação que revelas na transmissão destas artes, ambicionando o crescimento de todos os teus alunos.
    Tenho aprendido muito contigo,e não subestimo o teu trabalho, relativamente aos meus outros Mestres. És tu que assiduamente me tem direccionado no caminho que reconheço como sendo o melhor para evoluir nestas práticas, por isso, também, eu, tenho muito orgulho em ser tua aluna.
    Ao elaborar este artigo tive que reflectir muito nos diversos itens envolvidos e sei que tenho que trabalhar muitos dos aspectos em causa, como todos nós. Claro que cada pessoa necessita de trabalhar mais determinadas qualidades e melhorar mais dados comportamentos, pois todos somos diferentes. O importante é que possamos reconhecer o que cada um de nós deve melhorar.
    Acima de tudo, a verdade é que todos desejamos no nosso intimo, mesmo que inconscientemente, sentir que somos "queridos" pelos outros, isso faz parte da essência humana deste o primórdio dos tempos.

    ResponderEliminar
  5. "• Desenvolver a Auto- Estima
    A auto-estima representa a avaliação subjectiva que cada pessoa faz de si mesma, a qual pode ser positiva ou negativa. Assim, é importante que os indivíduos com uma baixa auto-estima fortaleçam este aspecto. Por outras palavras, fazer de si mesmo uma avaliação positiva significa aceitar e gostar de si tal como se é."

    Análise lógica:
    "A auto-estima representa a avaliação subjectiva que cada pessoa faz de si mesma, a qual pode ser positiva ou negativa." Temos aqui presente a dualidade, o positivo e o negativo, o yin yang, o taichi. Uma avaliação, que carece de objectividade e ainda por cima é dual não tem qualquer base de sustentação, logo a auto estima não tem qualquer importância.

    "Assim, é importante que os indivíduos com uma baixa auto-estima fortaleçam este aspecto." Suponho que está implícito que a fortalecem no sentido "positivo" da frase anterior.

    "Por outras palavras, fazer de si mesmo uma avaliação positiva significa aceitar e gostar de si tal como se é." Aceitar parece-me justo, uma vez que nos podemos livrar de toda a gente menos de nós. Gostar parece já corresponder a um mistério profundo, talvez do taichi, porque gostar implica uma boa dose de divisão e dualidade. Tal como se é ainda é mais misterioso porque, dizem os Mestres, o conhecimento da nossa natureza profunda leva muito tempo a ser alcançado. Logo, aceitar-se tal como se é não está ao alcance do comum dos mortais e a auto estima desta definição também não. O que não faz mal, porque já se viu em cima que a mesma não tem qualquer importância.

    ResponderEliminar
  6. As pessoas são todas diferentes e o que parece simples de definir a alguns, torna-se complexo para outros. Também, a forma como interpretamos o que vivenciamos é distinta, inclusivamente, a forma como interpretamos o que lemos. As definições aqui apresentadas não visam uma discussão filosófica, mas sim induzir, de forma simples, a compreensão do quão importante é aceitar-se a si mesmo, gostar de si mesmo. Claro que uns gostariam de ser mais altos, mais magros, mais inteligentes, etc., mas o que importa é o somatório das nossas qualidades e a tomada de consciência de que podemos melhorar muitos aspectos menos favoráveis, pois muitas vezes isso só depende de nós.
    Quando não nos aceitamos e não gostamos de nós gera-se insatisfação, descontentamento, revolta, etc., com os consequentes danos para o nosso equilibrio fisico, mental e emocional.
    Aqui no planeta Terra todos somos comuns mortais e apesar da grande maioria de nós se interrogar sobre o que fazemos aqui, para onde caminhamos e de que forma o deveremos fazer, não existem dúvidas de que o facto de convivermos positivamente com nós mesmos, é imprescindível para que possamos estabelecer relações saudáveis e frutíferas com o mundo que nos rodeia. Caso contrário, dificultamos e muito a nossa vida e também a dos outros, pois nem todos são indiferentes à infelicidade alheia.
    A busca da perfeição não tem fim, e esse facto não deve tornar-se fonte de desalento, mas sim, deve ser um incentivo para que promovamos o nosso desenvolvimento pessoal. Ter consciência que precisamos de melhorar diversos aspectos não é sinónimo de uma baixa auto-estima, se aceitarmos que somos assim e que é nossa a responsabilidade de melhorar.
    O Tao (o Caminho) deve ser feito seguindo a nossa natureza e esta rege-se pelas leis da Natureza! E sim, vivemos num mundo dual, onde Yin e Yang estão sempre presentes, mas isso não significa que o mundo não tenha importância.
    Felicidades!

    ResponderEliminar