CHINARTE Artes da Saúde

Novas Aprendizagens, Estar e Ser Naturalmente!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Existe Um Só Tai Chi Chuan

por Nelson Barroso

Este artigo foi elaborado com base numa entrevista realizada ao Mestre Fu Qing Quan, no dia 17 de Maio de 2007 em Ourense – Espanha. Esta entrevista visou, exclusivamente, esclarecer alguns pontos um pouco dúbios, relativos à história da família Yang.

Após vários anos de prática de Tai Chi Chuan, constato que muito se escreve sobre o Tai Chi, mas infelizmente as declarações de alguns dos ditos “letrados” das Artes Marciais, pouca veracidade contêm. Para além deste facto, também os que seguem a via mística usando o Taoismo como fonte de inspiração, muito divagam. Penso que a maior parte dos documentos elaborados inicialmente provêm de Chen Man Ching, tendo posteriormente sido a base para muitos reescreverem e inventarem.

A família Yang respeita Chen Man Ching, não pela sua técnica, mas pela divulgação que fez do Tai Chi Chuan. Chen Man Ching praticou muito pouco tempo Tai Chi, todavia soube tirar partido desta arte, conseguindo depois expandi-la por Taiwan, pelo Vietname e pelos Estados Unidos da América e finalmente por todo o Mundo Ocidental. Julgo que o depoimento do Mestre Fu Qing Quan retrata bem a realidade do Tai Chi na China e no resto do Mundo. Fu Qing Quan é filho do Mestre Fu Sheng Yuan e neto do Grão-mestre Fu Zhong Wen e tal como o seu pai, tem uma vida plena de Tai Chi. Tendo nascido no seio desta arte, continua a aprendê-la e a divulgá-la para que as gerações vindouras a conheçam. Este é o seu legado, como o tem sido o dos seus antecessores. Nasce no seio do Tai Chi, e desde muito jovem iniciou a aprendizagem de Tai Chi com o Pai e com o Avó, tendo dedicado a sua vida, unicamente, às artes marciais. Na juventude pertenceu à selecção chinesa de Wushu e foi várias vezes Campeão Nacional de Jianshu (Espada). Fala-se muito de Yang Zheng Duo que é filho de Yang Cheng Fu. Mas, com quem terá ele aprendido Tai Chi, se o seu Pai faleceu quando ele apenas tinha 9 anos?
O Mestre Fu Qing Quan foi reconhecido como 7º Duan pelo Governo da Republica Popular da China e o seu Pai, o Grão Mestre Fu Sheng Yuan é actualmente a máxima autoridade Mundial do Tai Chi Chuan com o grau de 8º Duan.

O Mestre Fu Qing Quan vive em Shanghai e viaja constantemente por toda a China, Japão, Malásia, Singapura e Vietname ensinando e mostrando a arte da sua família. Desde pequeno que se deslocava com o seu Pai e Avó por todo o Mundo. As histórias do Tai Chi, os documentos mais secretos e todos os outros aspectos sobre esta arte e sobre a cultura chinesa estão bem presentes nos seus conhecimentos fazendo dele um grande Mestre de Tai Chi Chuan.

Mestre Nelson Barroso e Mestre Fu Qing Quan executando Tui Shou

Antes de entrevistar o Mestre Fu Qing Quan muni-me de alguns artigos extraídos de livros e da Internet e sentei-me no sofá com um gravador e inúmeros papeis, pronto a ouvir e a tentar esclarecer algumas dúvidas. Espero que, também, satisfaça alguma das vossas curiosidades.

Nelson Barroso – James (Mestre Fu Qing Quan), alguns livros mencionam que o Tai Chi da família Yang tem vindo a mudar com o tempo. É verdade que os movimentos antigamente eram bem diferentes do que são hoje?

Fu Qing Quan – Os movimentos não são diferentes, apenas são executados por pessoas diferentes. Os movimentos nunca mudaram. Vejamos, Fu Zhong Wen era mais baixo que Yang Cheng Fu e por isso parecem diferentes, James é mais novo que Fu Sheng Yuan e logo, também, parecem ser diferentes. A diferença de estatura, de composição da massa muscular, de idade, etc., fazem com que os movimentos se pareçam diferentes, o que não significa que os movimentos tenham mudado. Os Mestres adaptam os movimentos ao seu corpo, mas a essência e o espírito são os mesmos. Fu Zhong Wen odiava mudar fosse o que fosse. Ele foi conhecido por ser um dos mestres que melhor executava os movimentos e que os manteve tal como lhe foram ensinados. A família Yang nunca mudou os movimentos, tendo mantido esta arte inalterada desde os seus primórdios.

Nelson Barroso – Diz-se que no fim da carreira Yang Cheng Fu decidiu eliminar todos os resquícios de movimentos do estilo da família Chen, pelo que reuniu com os discípulos e reviu toda a forma, acabando com os sinais do Chen Tai Chi.

Fu Qing Quan – Penso que quem escreveu isso, escreveu algo pouco adequado e correcto. Se o Mestre quisesse trocar logo, porque motivo chamaria os díscipulos, trocava ele mesmo. Esta é a primeira questão, como tal o que questionas é muito estúpido. A segunda questão que se põe será: Porquê trocar? Yang Cheng Fu escreveu no seu livro que o Tai Chi vinha de há muitas centenas de anos e que os Mestres de outrora faziam-no muito melhor do que nós, se o Tai Chi necessitasse de ser mudado, então as pessoas dessa época já o teriam feito não era necessário nós agora trocarmos fosse o que fosse. Quem diz isto não entende nada de Tai Chi. Yang Cheng Fu deixou duas mensagens importantes no seu livro, a primeira referindo que nos anos trinta do século XX, alguns tentaram introduzir alterações no Tai Chi Chuan e a segunda, esclarece em definitivo que o estilo Tai Chi Chuan não pode ser modificado, uma vez que este é o único Tai Chi no Mundo. Yang Cheng Fu escreveu dois livros, o primeiro ficou conhecido como um Tratado do Tai Chi, intitulado “How to use Tai Chi” e o segundo livro com o título “Tai Chi to the Body and How To Use”.

É muito importante fazer-se notar que naquela época, aqueles livros apenas mencionavam o Tai Chi Chuan e não o Yang Tai Chi ou o Chen Tai Chi. Por isso, no tempo de Yang Cheng Fu, quando ele escreveu o livro não houve necessidade de lhe chamar Yang Tai Chi, porque nessa altura só existia um Tai Chi, e esse era o da Família Yang, mais ninguém ensinava Tai Chi, como tal não havia necessidade de lhe chamar Yang Tai Chi, para o diferenciar fosse do que fosse. O Tai Chi era o estilo da família Yang e todos o sabiam.

Nelson Barroso – Yang Luchan aprendeu na aldeia Chen?

Fu Qing Quan – Sim, Yang Luchan (楊露禪) (1799-1872) estudou com Chen Chang-Hsing a partir de 1820. Depois regressou a Yongnian e um habitante dessa aldeia e amigo de Yang Luchan, Wu Yu Hsiang (futuro fundador do estilo Wu de Tai Chi ) levou-o para Pequim (Beijing) para ensinar Tai Chi Chuan aos membros da família Imperial e a diversas unidades de elite da Guarda Imperial.
A primeira geração da família Yang só ensinou a gente da Corte, a pessoas ricas, entre as quais o irmão do Imperador, só estes privilegiados é que tinham acesso a esta Arte. Era proibido ensinar a pessoas do Povo. A partir da segunda geração Yang Jianhou (Yang Chien-hou) 楊健候 (1839–1917) e Yang Banhou (Yang Pan-hou) 楊班侯 (1837-1890), também, foram contratados como instrutores de artes marciais pela família Imperial, para além de que, também, ensinavam a pessoas ricas e não ao Povo. O Tai Chi tornou-se muito Popular na Terceira geração.

Os filhos de Yang Jianhou, Yang Shaohou 楊少侯 (1862-1930) e Yang Chengfu 楊澄甫 (1883-1936) tornaram-se professores de Tai Chi famosos em toda a China. Foram os primeiros Mestres a ensinarem Tai Chi Chuan ao Povo em geral em Pequim (北京 - Beijing) de 1914 até 1928. Yang Chengfu percorreu a China de Norte a Sul, divulgando amplamente a prática, não somente como uma arte marcial, mas também, como uma terapia para manter a saúde. Em 1928 mudou-se para Shanghai.

Nesta altura a aldeia da família Chen começa a ser conhecida, em consequência das pessoas questionarem de onde provinha o Tai Chi e de lhes ser dito pelos praticantes que o tinham aprendido em ChenJiagou, o que originou a sua popularidade. Este facto levou os aldeões a investigarem mais a arte de Chen Chang-Hsing e a colocarem um pouco de lado o Pao Chui (estilo de Kung-Fu da família Chen), único estilo desta aldeia. Naquela época, o Tai Chi Chuan não era muito popular junto dos autóctones de Chenjiagou, uma vez que era um estilo muito suave e aqueles não entendiam que era a força interna que gerava a eficácia e potencial desta arte.

Após estes acontecimentos a família Chen aprendeu um pouco Tai Chi e misturou-o com Pao Chui, surgindo o Chen Tai Chi, o qual foi reconhecido mais tarde em Beijing numa reunião com os Mestres de Tai Chi, onde esteve presente Chen Fake. O Tai Chi vem de Wudan com Zhang Sang Feng e data do final da dinastia Ming (1368-1644), deste Mestre passa para Chan Xi Shong, depois vem Jian Fa, e seguidamente para Chen Chang-Hsing, que tinha o estilo conhecido como Mien Chuan. Esta teoria é aceite em toda a China. Nas reuniões que temos com todos os Mestres de Tai Chi de todos os actuais estilos, todos confirmam esta teoria.

Nelson Barroso: Quem foi o primeiro Mestre de Tai Chi?

Fu Qing Quan – O primeiro Mestre de Tai Chi foi Zhang Sang Feng que terá vivido entre as Dinastias Sung e Ming. Muitas pessoas que praticam Tai Chi na China comemoram o nascimento do fundador desta arte, Zhang Sang Feng. O estilo de Zhang Sang Feng era conhecido como Mien Chuan “punho de algodão”. Yang Luchan, aprendeu com Chen Chang - Hsing o estilo de Zhang Sang Feng. A partir de Yang Luchan o Tai Chi Chuan fica conhecido como Yang Tai Chi Chuan, mas a base do Tai Chi é apenas uma, respectivamente, o estilo de Zhang Sang Feng, ou seja, pura e simplesmente – Tai Chi Chuan.

Nelson Barroso: É verdade que Yang Luchan foi o responsável pela divulgação do Tai Chi?

Fu Qing Quan – Sim, se não fosse Yang Luchan, o Tai Chi teria terminado com Chen Chang Hsing, uma vez que nessa altura nenhum membro da família Chen queria fazer Tai Chi, todos preferiam praticar Pao Chui. Yang Luchan dinamizou o Tai Chi Chuan e foi a partir dele que muitas outras pessoas tiveram acesso a esta arte. Yang Luchan fez do Tai Chi uma das mais eficazes artes marciais. Na China todas as artes marciais são consideradas eficazes, todas são boas. Todavia, deve-se fazer notar que é o praticante que faz a diferenciação, ou seja, dada arte poderá ser considerada superior relativamente a outra, consoante o indivíduo que a pratica. Devo, ainda, realçar que Yang Luchan foi um dos que se destacou na arte do Tai Chi e, por isso a partir dele a escola de Tai Chi obteve um grande incremento de popularidade. Este Mestre, Yang Luchan, ficou conhecido com o cognome de o “Invencível”.
Nelson Barroso: Porque que motivo existem tantos estilos de Tai Chi Chuan?

Fu Qing Quan – Porque o povo chinês gosta muito de inventar. A maioria dos estilos que surgiram no Tai Chi são o resultado da falta de conhecimento das pessoas. Devido ao seu ego, à sua inteligência e ao facto de pensarem que já sabem tudo, julgam que podem inventar, recriando a arte ao imaginar novas formas de exercer a prática. Por outro lado, também, sucedeu que muitos formaram novos estilos, atendendo a que se aperceberam que poderia ser uma forma de sustento, uma vez que dando aulas obtinham um incremento dos seus rendimentos. Isto não ocorreu apenas na época de Yang Luchan, também, nos dias de hoje sucede com frequência.

E noto que não somente no Oriente. De facto, actualmente, também, se constata que no Ocidente, qualquer um cria um estilo e defende-o como se fosse o melhor.
Nós, na nossa família nunca o fizemos, sempre mantivemos a tradição, porque entendemos que o que está bem feito não se muda.

Nelson Barroso: Todos os estilos de Tai Chi vêm da família Yang?

Fu Qing Quan – Sim, foi a partir de Yang Luchan que surgiram os primeiros estilos de Tai Chi. O primeiro estilo que surgiu foi o estilo Wu, derivado do Mestre Wu Yu Hsian que trabalhava em Beijing e era da aldeia de Yongnian, a mesma aldeia em que vivia Yang Luchan. Eram amigos e Yang Luchan acompanhava Wu Yu Hsian na prática do Tai Chi, vindo este último a tornar-se seu aluno graduado e mais tarde, também, Mestre de Tai Chi, ensinando a prática com algumas modificações relativamente ao que tinha aprendido. Wu Yu Hsian era um erudito de uma família rica e influente, tendo sido ele que levou Yang Luchan para Beijing, para que este ensinasse a técnica aos funcionários do Imperador. Esta variação da Escola Yang é hoje conhecida como, Escola Hao, em virtude de não terem existido descendentes Wu no seguimento da arte. A segunda variação da escola Yang provem de Wu Quan You (1834-1902) que era Manchu e trabalhava como guarda na corte Imperial de Beijing, tendo sido aluno do Mestre Yang Luchan. Wu Quan You vestia-se com trajes compridos até aos pés, o que veio a influenciar os movimentos dos exercícios deste estilo, sendo que nesta variante os exercícios são pequenos, com passos curtos. Apesar de Wu Quan You ser o fundador deste estilo, é o seu filho, Wu Jian Quan (1870-1942) que através de um árduo trabalho, se empenhou em divulgar o estilo que passou a ser conhecido como o Estilo Wu Jian Quan ou Estilo Wu. Mais tarde, surge o estilo de Sun Lutang (1861-1933). Esta forma foi modificada propositadamente, porque Sun Lutang era um credenciado Mestre de H-Sing e de Ba Gua Zhang. Após, ter praticado Tai Chi com Hao Wei Zhen e com Yang Luchan, Sun Lutang modificou, intencionalmente, a forma e criou um novo estilo.

Nelson Barroso: Todas estas variações podem ser consideradas Estilos de Tai Chi Chuan?

Fu Qing Quan – Sim, foi o Governo da Republica da China que em 1949 atribuiu os nomes às diferentes variações de Tai Chi. Nessa altura, em reunião com os vários representantes dos diversos Estilos de Tai Chi, foram reconhecidos os seguintes estilos: o Yang Tai Chi, o Wu / Hao Tai Chi, o Wu Tai Chi, o Sun Tai Chi e o Chen Tai Chi. Este último, devido ao facto de Chen Fake, também, ter estado presente nessa reunião, a título de ser neto de Chen Chan Hsing, pelo que a partir dessa altura, o estilo da aldeia de Chen Jiagou passou a ser reconhecido como Chen Tai Chi.

Nelson Barroso – James, coloquemos, agora, um pouco de lado a história do Tai Chi e falemos sobre a finalidade do Tai Chi nos dias de hoje. Inúmeras pesquisas apontam o Tai Chi como uma modalidade de especial importância para a saúde. Qual é a tua opinião?

Fu Qing Quan – Efectivamente o Tai Chi Chuan é uma excelente modalidade para a saúde das pessoas. O Tai Chi não só é bom para o corpo, como, também, o é para a mente e o espírito.


Na filosofia das Artes Marciais considera-se de extrema relevância o corpo. Primeiro, devemos preparar o corpo para o dia a dia, fortalecendo-o para que no Futuro possamos ter uma boa qualidade de vida. Eu, no Tai Chi, ensino primeiro a forma de Punhos (Forma de 108 movimentos), depois as armas, depois o Tui Shou e por último, Fa Jing.

Nelson Barroso: O objectivo do Tui Shou é o combate?

Fu Qing Quan – Não, isso são criações da era moderna. O objectivo do Tui Shou é sentir o corpo, escutar o corpo, sentir a energia. O Tui Shou é parte integrante do treino de Tai Chi Chuan.

Nelson Barroso: E as armas são usadas para o treino de combate?

Fu Qing Quan – Actualmente não. As armas são treinadas com o objectivo de passar a energia para o teu corpo e não são usadas para o combate como o eram antigamente.

Nelson Barroso: E o Fa Jing?

Fu Qing Quan – O Fa Jing é treinado com o intuito de desenvolver a energia interna, a força interior. Há pouco falaste de Saúde e nessa linha de pensamento, devemos primeiramente trabalhar a forma de Punhos para manter o corpo saudável, depois Tui Shou, as Armas, e finalmente, Fa Jing que por sua vez irá magoar o corpo, pelo que tens que voltar ao princípio e voltar a treinar a forma de punhos para curar o corpo. Isto é Tai Chi; Yin-Yang.

Nelson Barroso: Como posso treinar Tai Chi para Combate?

Fu Qing Quan – Para treinares Tai Chi para combate, deves treinar muito Fa Jing, mas, só o podes fazer, quando o teu corpo estiver preparado. Se a tua base não for forte, o teu Fa Jing não presta, então o teu combate, também, será fraco. Por isso pratica bem a base.

Nelson Barroso: E o que significam as oito energias no Tai Chi?

Fu Qing Quan – O Tai Chi compõe-se de 8 energias e de 5 direcções que perfazem na sua globalidade os 13 movimentos de Tai Chi, como por vezes, também, é conhecida esta arte.

As oito energias são a base do Tai Chi, indica-nos a correcta posição de cada movimento, estando sempre presentes na forma. Em determinados movimentos poderemos usar mais do que uma energia. Poucas pessoas conhecem as oito energias do Tai Chi.

Ou melhor, de nome todos as conhecem, mas, executá-las na prática é mais difícil, pelo que a maioria dos praticantes inventa e arranja sempre uma aplicação distinta para cada movimento. Claro está que isso não está correcto e logo a aplicação não é efectiva. Sabes, por exemplo, no movimento de “Tocar o Alaúde” estão presentes três energias distintas. Quanto às oito energias, as primeiras quatro executam-se em linha recta e as restantes executam-se na diagonal.

Nelson Barroso: Sendo, assim, porque motivo nalguns livros é referido que a energia X vai para Norte, a energia Y para Oeste, etc.?

Fu Qing Quan – Isso são tudo invenções para escrever livros. Já te disse que muitos dos que escrevem livros sobre Tai Chi, não entendem nada sobre o assunto.

Nelson Barroso: Porque razão os alunos de Chen Man Ching executam os movimentos sem energia, aparentando um ar moribundo?

Fu Qing Quan – Não sei. Uma vez, aquando duma viagem aos Estados Unidos com o meu avó, um aluno trouxe uma cassete de Chen Man Ching e o meu avô quis vê-la. No fim disse:- “Não está assim tão mal, faz muito melhor que os alunos”. Os alunos parecem não ter vida. Os alunos deste mestre em Taiwan, Singapura e Malásia, executam a prática de Tai Chi de forma muito mole, sem força, sem vida. Devemos fazer Tai Chi com Firmeza, devemos ter espírito, presença na forma. Expressando Suavidade, mas com agulhas dentro, agulhas envolvidas em algodão, pois isso é Tai Chi – Mien Chuan (Punho de algodão).

Nelson Barroso: O Tai Chi é circular. Quando fazemos um movimento devemos pensar que estamos a segurar numa bola.

Fu Qing Quan – Não, o Tai Chi não é uma “pizza”, O Tai Chi é uma bola. Quando executas Tai Chi, não deves pensar que seguras numa bola, mas, sim que és parte integrante dessa bola. O Tai Chi é uma arte que se executa em três dimensões e não numa dimensão ( “Tai Chi is not one D, Tai Chi is three D”).

Nelson Barroso: Muito obrigado James, o dia já está quase a nascer, pelo que será melhor continuarmos esta entrevista no próximo mês de Julho em Shanghai.
Eram quase cinco horas da manhã e eu não aguentava mais a sonolência e a exaustão que me envolviam, após um dia árduo de treino de Tai Chi. No entanto, James continuava com a sua boa disposição de sempre, rindo constantemente e demonstrando algumas técnicas ao meu colega José Gago que ia servindo de “sparring”.

Fiquei muito impressionado com a sua força de pernas, com a flexibilidade e agilidade dos seus movimentos, associados a um corpo em equilibrio, bem fixo e ao mesmo tempo pleno de suavidade. É deveras um grande Mestre de Tai Chi Chuan, um dos melhores Mestres da actualidade.

Mestre Fu Qing Quan na postura de "Xia She /Serpente Entra na Cova"

Sem comentários:

Enviar um comentário